Jimmy

Deja un comentario

>estou desde quarta-feira aqui no hospital. meus dias têm sido basicamente assim: sou acordado às 5 da manhã para a enfermeira enfiar remédios no tubinho instalado na minha mão, tomo café da manhã e durmo. depois falo com a mocinha simpática que vem perguntar o que quero almoçar, peço o laptop para minha mãe, e fico horas e horas à fio online. depois, a mesma mocinha simpática vem me perguntar o que quero jantar. algumas horas depois o jantar chega, e chegam visitas , ou até mesmo o sono. então eu durmo e no outro dia tudo é igual.

é uma memisse desgraçada para quem já estava achando a vida meio sem graça. preciso de emoções novas, mas não tenho coragem de andar. vejam só, andar já será uma atividade emocionante. é triste viver assim. no momento em que eu mais pensava que seria livre, fiquei mais dependente do que nunca de toda e qualquer pessoa. é como se tudo isso fosse para esfregar na minha cara que eu preciso sim dos outros, não posso ser tão auto-suficiente como eu queria. mas que droga, o que tem de mais em querer ir atrás de outras coisas? por que seria errado ir embora da minha casa em busca de um sonho, mais coisas do que eu tenho hoje?

tantas pessoas loucas fazem coisas realmente erradas por aí e não sofrem nada. não quebram pernas, não morrem, não são obrigados a voltarem para a redoma construída pelos pais. enquanto isso, eu recebi este recadinho dos céus: não se atreva a pensar que você se basta, você precisa muito dos outros. não sei por que estou passando por isto, mas eu sinto essa mensagem incrustada neste acontecimento.

eu não posso tomar banho, ir ao banheiro, até mesmo comer sem ajuda. e fico pensando se mereço realmente isso que aconteceu. aposto que se eu fosse um zé Bundão que gasta todo o dinheiro do pai com cachaça e sai por aí dirigindo bebaço nunca aconteceria nada. eu não procurei
isso que aconteceu. eu fui a vítima de um motorista imprudente e estou sofrendo demais por isto. não tenho mais a dignidade de tomar um banho sozinho. não posso mais ir onde eu quero. não posso controlar os meus rumos, como eu queria. tudo isso é uma merda. a maior merda que já me aconteceu.

estou sentindo como se eu estivesse sendo castigado simplesmente porque eu tinha planos de sair da minha cidade natal, deixar a casa dos meus pais e ir estudar algo que realmente me deixa feliz. sim, eu sabia que meus pais seriam contra, mas eu precisava fazer isto. eu ainda vou fazer. mas agora tenho que esperar. sei lá quando vou estar andando normalmente de novo, ou quando meus pais vão desencanar novamente com toda a liberdade que me deram nestes anos. ao mesmo tempo, não acho que quando fazemos algo com o qual nossos pais não concordam a gente deva ser castigado. quem pensa assim é gente medíocre, que nunca fez nada na vida e está hoje infeliz com os rumos que tomou. mas aposto que se meus pais soubessem da verdade, eles diriam que o acidente aconteceu por isto.

merda. tudo isso por causa de um segundo. um segundo que mudou tudo. um segundo que fudeu com meus planos, minhas férias, uma vida nova para a qual eu estava me preparando. e agora, o que vai ser? que tipo de coisa deve acontecer por aqui? minha vida vai continuar a mesma. a mesma sensação de que os dias estão acontecendo todos da mesma forma, as mesmas dietas que não funcionam, as mesmas desilusões, as mesmas notícias ruins e as mesmas conversas de sempre. tudo por conta do tal segundo. aquele que mudou tudo para mim, e virou somente mais uma história engraçada na vida dele.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s