Jimmy

>live the life

1 comentario

>acordei na segunda-feira com uma sensação esquisita no olho direito. horas mais tarde foi constatado que era conjutivite e eu teria que ficar o resto da semana em casa. fera. não preciso ir ao trabalho, à faculdade ou dar aulas particulares. o problema é que detesto ficar doente. fora isso tem toda a trabalheira para compensar com meus alunos as aulas que não dei.

mas tudo podia estar pior. o meu fim de semana foi intenso o suficiente para garantir um final ótimo ou trágico. tudo isso por causa de sentimentos que brotam sem que você queira. uma angustia tão sincera e tão absurda que você sequer entende. eu até agora não sei por que acontece, mas não posso ignorar que existe.

a verdade é que desde o início do meu namoro com o Chris eu notei que somos muito diferentes. mas isso, então, não era um problema. até que aos poucos percebi que eu estava começando a ficar calado para não entrar em conflito com ele. eu sei que não posso querer que ele seja diferente, nem é a minha intenção mudá-lo. ninguém muda ninguém. mas me irritava o fato como ele falava de algumas coisas com tanta propriedade quando eu sabia que ele não tinha maturidade, vivência ou experiência para se expressar daquela maneira. eu sinto que talvez eu pense de forma muito intransigente. ele é diferente de mim, that’s all. mas eu não estava conseguindo me calar quando eu aos poucos percebia que a pessoa que eu amo e com quem eu quero construir um futuro não vê a vida como eu, não tem as mesmas ambições, não compartilha de sentimentos que eu considero essenciais.

puta que pariu, era um sábado à noite e eu tinha combinado de sair com uns amigos e ele há mais de duas semanas. a minha vontade era de ficar em casa pensando em tudo ou simplesmente dormindo para não pensar em nada, mas eu não podia simplesmente fazer todo mundo desistir por minha causa. e eu também não queria dar explicações. acabei indo, mesmo sabendo que seria impossível disfarçar o que eu sentia.

eu estava muito mal-humorado. não conseguia olhar para o Chris, porque dentro de mim não estava tudo bem e eu não queria conversar sobre aquilo com ele. não naquele momento. quando chegamos na boate eu sumi. fiquei em um canto escuro e tranquilo. sentei em um sofá e não me movi de lá. eu não queria conversar e nem aturar as pessoas me falando para dançar como se eu estivesse feliz.

até que o Chris me encontrou. ele perguntou o que eu tinha, mas eu não conseguia responder.

“Jimmy, tem alguma coisa a ver comigo?”

caralho, como ele faz uma pergunta daquelas? eu odeio covardia e nunca conseguiria dizer que não tinha. o problema era que eu não queria conversar com ele ali, nem naquele momento. na minha cabeça eu precisava de um tempo para pensar direito no que estava acontecendo. eu não tinha me preparado para chegar ali e falar, como se tudo fosse tão simples.

porém, foi exatamente o que eu tive que fazer.

“Chris,eu não estou propondo nada nem colocando nossos sentimentos à prova, mas eu não aguento ver que somos tão diferentes. eu quero construir uma vida com você, mas eu não vejo como porque a gente não quer seguir pelos mesmos caminhos”

“Mas Jimmy, a única conexão que temos é o nosso sentimento. Isso deveria ser suficiente”. ele disse.

porra, eu sei o que eu sinto, mas eu sei também que um relacionamento não pode se dar apenas no que os dois sentem. claro que isso é muito importante, mas isso não pode ser a única coisa que vai nos sustentar.

tentei explicar meu ponto de vista, ele tentou explicar o dele, mas não chegamos a um ponto comum. eu sabia que não chegariamos.

“Eu sei que você precisa de um tempo para pensar, Jimmy. Tudo bem” ele disse, levantando-se e me deixando sozinho.

comecei a lembrar do que eu tinha vivido com ele e com os meus ex-namorados. eu nunca consegui passar por problemas em relacionamentos, essa é a verdade. na primeira briga os meus namoros passados acabaram e eu não queria que acontecesse a mesma coisa agora. porque agora eu estou muito mais apaixonado do que antes.

de repente, ele vem, me abraça e fala no meu ouvido

“Eu estava lembrando do dia que a gente se conheceu. E a gente disse um para o outro que os problemas não iam nos separar. Eu quero passar com você por isso”.

nesta hora eu comecei a chorar. essa vida é foda. você conhece alguém, se apaixona, mas os problemas precisam acontecer. nas outras vezes tudo acabou. desta não. a gente realmente se gosta e acredita no amanhã.

Anuncios

Un pensamiento en “>live the life

  1. >po cara, que otimo isso, esse garoto te ama, todos os problemas sao minimos ao saber que alguem que voce ama tambem te ama. muita intensidade.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s