Jimmy

Deja un comentario

>”Jimmy, nesse sábado vai rolar uma festa na casa de uma amiga. Você quer ir?”

um convite normal se viesse de qualquer outra pessoa. mas e se vem de alguém que parece querer algo com você e com quem você nunca saiu antes? o que você pensaria? e se todo mundo que conhece você e a tal pessoa comenta que ele é a fim de você porque percebe a forma como ele te olha, o que você faria? eu disse “sim, eu vou”. eu fui.

ontem à noite trabalhei apresentando um evento e saí super feliz. tinha me saído tão bem no trabalho e meus amigos todos estavam comigo. de lá fomos direto para a tal festa, porque é óbvio que eu sempre carrego os meus amigos para todo lugar. chegando lá o tal garoto estava na porta. entramos, bebemos, dançamos, conversamos e eu fui apresentado e milhões de amigos dele que estavam lá. estava na cara que algo ia acontecer. até o momento que, no meio de uma das conversas, o garoto diz “eu sou louco para ficar com teu amigo Matheus. ele tem namorado?” e eu digo “Sim”, e ele responde “ah, mas eu não tenho ciúmes”.

eu deveria ter perguntado para ele na hora por que ele não chamou o Matheus diretamente, ao invés de me chamar sabendo que eu o levaria. achei muito covarde. achei nojento. nunca pensei que alguém daria a entender que está a fim de mim para pegar meu amigo. ele não sabe como eu fiquei feliz quando ele me chamou para vê-lo nessa festa. há muito eu queria conhecer outra pessoa e pensava que poderia ser ele, por que não? mas com duas frases ele destruiu tudo.

é claro que eu fiquei puto e óbvio também que não ficaria calado. intencionalmente contei a uma amiga dele o que tinha acontecido e me deixado irritado. pensei em ir falar com ele, mas acabei não indo porque o Peter (mais sobre ele neste post ) sentou do meu lado e começou a falar comigo. a minha história com ele é meio complicada. eu sempre achei que ficaram pontas soltas e por isso nunca conseguia agir normalmente quando ele estava por perto. isso porque depois que ficamos no ano passado eu fiquei com aquele sentimento de “poxa, ele é legal. ele é alguém que vale a pena. por que não da em nada?”. não deu em nada, acho, por dois motivos: eu tinha acabado um namoro uma semana antes e não queria namorar. ele também não queria nada sério com ninguém. okay. sempre me perguntei se o momento tivesse sido outro algo diferente teria acontecido, mas não dá para saber. hoje em dia, apesar das pontas soltas, achei que nunca fosse acontecer mais nada nessa história, mas claro que eu estava errado.

o Peter bebeu muito e resolveu me dizer novamente algo que ele me disse quando ficamos: que ele me admira muito, que sou um exemplo para ele, que ele me tem como um ídolo. em momento nenhum duvidei de uma palavra que ele estava falando, mas fiquei me perguntando por que ele estava me dizendo tudo aquilo. ele acompanha a minha vida, talvez saiba como venho me sentindo e esteja querendo me ajudar. ou ele queria me dizer tudo aquilo mesmo. parecia que ele realmente esperava há muito tempo a oportunidade para falar comigo assim de novo. em Setembro, quando ficamos, ele mencionou toda essa admiração, mas ontem as palavras dele me atingiram com uma força que ele não devia saber que elas tem.

eu disse a ele que não fizesse essa imagem de mim, porque nem eu mesmo me vejo mais como alguém que é dono da própria vida, que foi como ele me definiu. ele disse que eu não poderia deixar de me ver como essa pessoa que brilha, que inspira e que “não é um cabelo ou um rosto, mas a personalidade” que eu tenho que causa esse efeito nele.

depois que ele falou, foi a minha vez de dizer o que eu achava disso tudo. disse a ele que não queria que ele me visse assim porque não quero decepciona-lo e porque eu tenho um carinho por ele dificil de definir. acho ele um doce, mas pouco o conheço. gostaria de conhece-lo mais, porém temo essa aproximação porque não quero gostar mais dele sabendo que ele me admira, mas pode não conseguir sentir por mim o que eu gostaria que ele sentisse. eu não preciso de alguém que me admire, mas que me ame e me faça feliz. eu também disse a ele que queria ter essa mesma conversa quando ele estivesse sóbrio, mas acho difícil que isso aconteça.

ainda estávamos na festa e o tal garoto que havia me convidado estava por lá, mas eu estava ignorando ele desde quando ele disse aquilo. mandei então um SMS para ele que dizia

“Não precisava me chamar aqui para atrair o Matheus. Eu não sou idiota”

não demorou muito para uma amiga dele vir falar comigo e dizer que ele não queria ter dito o que disse. eu respondi que tinha achado aquilo sem noção e que não queria ouvir explicações porque tudo estava já bem claro para mim.

claro que depois disso tudo puxei a Jully num canto e comecei a chorar. eu não tenho que aguentar tantas coisas acontecendo comigo. estou com medo de entrar em depressão, continuo lutando contra mim mesmo para não me entregar a tristeza mas sempre estão acontecendo coisas que me destroem. eu só queria acreditar que isso tudo vai passar e eu vou conseguir voltar a ser a pessoa que tem o brilho que o Peter consegue ver em mim. Because now I’ve been living with a shadow overhead.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s